Salinas, Equador tem 1 atitude empreendedora

Como uma pequena cidade equatoriana erradicou a pobreza mudando seu modelo econômico

Salinas tem apenas 10 mil habitantes e é considerada referência em economia cooperativista

Localizada na província de Bolívar, no Equador, a cidade de Salinas era pobre e marginalizada até a década de 1970. Não havia estradas próximas, água encanada, luz elétrica ou telefone. A mortalidade infantil chegava a 45% e o índice de analfabetismo era de 85%. Hoje, é um exemplo de sucesso em desenvolvimento local.

salinas

Historicamente, o extrativismo de sal naturalmente iodado, feito por latifundiários, era o principal produto de Salinas. Porém, essa indústria desacelerou com a chegada do sal marinho iodado no mercado e a economia entrou em crise, o que agravou o cenário e as condições de vida na cidade.

Preocupada com a situação das famílias, em 1970 a igreja local pediu ajuda à mão de obra especializada da Itália. Voluntários italianos e dois padres salesianos apoiaram a formação de uma organização popular de solidariedade e foi constituída a primeira cooperativa de poupança e crédito para incentivar novas atividades econômicas na comunidade. No final da década de 1970, impulsionada pelo fomento da agricultura familiar, foi fundado o Grupo Salinas, com 15 sócios. A ideia inicial era que o lucro obtido com a venda dos produtos fosse dividido entre toda a comunidade, fazendo com que a economia local fosse restabelecida.

Ao iniciar o projeto, foram criadas frentes de trabalho propiciando pequenos investimentos em estradas e alguns equipamentos urbanos, como pequenos postos de saúde, escola, e locais para armazenamento e distribuição da produção. Os empregos começam a surgir e a economia a reagir. Na década de 90, o turismo passou a ser explorado, o que trouxe novas oportunidades para comércios, restaurantes e hospedarias. Salinas ganhou fama pela produção de queijo e chocolate de excelente qualidade, renome esse que ultrapassa as fronteira do Equador. Hoje a produção é exportada para diversos países da Europa e das Américas.

A cidade reduziu fortemente a pobreza e a população apresenta excelente qualidade de vida. A identidade cultural e as origens do seu povo se mantiveram. Salinas possui seis cooperativas que faturam anualmente, em média, 9,2 milhões de reais com produtos diversificados. São 180 empregos diretos e quase 6 mil associados.

Um ótimo exemplo de como o desenvolvimento pode acontecer em cidades pequenas com o envolvimento e a colaboração de seus habitantes. Inspire-se e movimente-se para transformar a realidade da sua cidade!