Santiago, Chile tem 1 atitude empreendedora

Mapa interativo em Toronto propõe turismo a partir da poesia

Parceria entre poeta e biblioteca cria novo jeito de explorar a cidade

A poesia geralmente transporta o leitor a lugares. Seus versos remetem a sons, cheiros e sensações. Por que não usar essa magia para criar uma nova maneira de ver uma cidade? Este é o projeto da Biblioteca Pública de Toronto e do poeta George Elliott Clarke. Juntos, eles criaram o “Toronto Poetry Map”. Clarke é o quarto “Poeta Laureado” da cidade, uma iniciativa da prefeitura que nomeia um embaixador literário, a cada três anos, com a missão de promover a poesia, língua e artes na cidade.

Foram reunidos mais de 200 poemas sobre romance, assassinato, caminhadas, transporte público, as estações do ano e suas mudanças, entre outros assuntos – todos com Toronto como cenário. As poesias foram distribuídas pelos lugares mencionados em seus versos. Ao clicar em uma das marcas do mapa, aparece (quase sempre) uma imagem do local, os trecho dos poemas relacionados e o link para as páginas dos livros que o contêm, no site da Biblioteca Pública. Screenshot (4) Às vezes os versos citam o lugar específico, outras descrevem a paisagem ou fazem alguma referência a ela. É possível viajar pelas ruas e parques sem sair de casa, só lendo os poemas e sentindo o que evocam. Outra sugestão, se estiver indo para a cidade, é passear por alguns dos lugares marcados no mapa e ler sobre eles – quem sabe com um livro da biblioteca nas mãos?

Além dos poemas sobre espaços específicos, o site também lista poesias que têm Toronto como musa. E se você conhece algum que cita a cidade e não está no mapa, é possível enviá-lo como sugestão pelo site.

George_Elliott_ClarkeO escritor George Elliott Clarke tem etnia afro-americana e ameríndia da tribo Mi’kmaq. Em 1999, deu aulas de literatura dispórica africana e canadense na Universidade de Toronto. Atualmente é professor de literatura canadense na mesma universidade. O Mapa de Poesias de Toronto não é sua primeira experiência com a divulgação de autores canadenses: em  2002, publicou “Odysseys Home: Mapeando a Literatura Afro-Canadense”.