Sobral, C tem 2 atitudes empreendedoras

Sobral, no interior do Ceará, se torna modelo nacional de gestão em educação

Cidade vira o jogo dos números na Educação e se torna referência no país

Infográfico-sobral-

Sobral, no interior do Ceará, se torna modelo nacional de gestão em educação

Cidade vira o jogo dos números na Educação e se torna referência no país

No final do ano 2000, 40% das crianças de 8 anos em Sobral terminavam o ano escolar sem saber ler nem escrever. Diante de estatística alarmante, a prefeitura da cidade cearense decidiu mudar a forma como gerenciava a educação pública no município. Passou a focarna erradicação do analfabetismo, na diminuição da evasão escolar, e na valorização dos professores, além de selecionar os diretores escolares com base na meritocracia.

sobraldest

A Secretaria de Educação da cidade fixou duas metas fundamentais: inserir todas as crianças até 7 anos de idade no universo letrado, além das que tambémhaviam passado da idade e cursavam séries mais avançadas sem saber ler nem escrever. Em 2014, Sobral passou de  um IDEB (Ìndice de Desenvolvimento da Educação Básica) de nota 4 em 2000 para 7,3 – o primeiro lugar entre os municípios com mais de 100 mil habitantes. A cidade tem o maior número de escolas públicas de qualidade em todo país ejá superou a meta federal para 2021, que é ter IDEB nota 6.

O modelo foi tão bem sucedido que inspirou a criação do Paic, oPrograma de Alfabetização na Idade Certa, no Ceará e também o Projeto Nacional de Ensino, que começou a ser implantado em mais de 5.300 municípios brasileiros em 2013.

O primeiro passo para melhorar os níveis de leitura das crianças foi produzir material específico para alfabetização, entregue a cada criança individualmente para que elas mesmas se responsabilizem pelo seu aprendizado. A prefeitura também investiu em formação continuada para os professores, agentes fundamentais para a aprendizagem, além de instituir um bônus salarial para os que trabalhavam nas salas de aula de alfabetização. Outro passo importante foi o fim das indicações políticas para os cargos de diretores de escolas, passando a contratá-los por meio de um processo seletivo. Com isso, os diretores passaram a ter autonomia financeira, pedagógica e administrativa, sem depender da prefeitura eleita a cada 4 anos.

Como incentivo, o projeto criou  um prêmio em dinheiro para as escolas que melhor atingissem suas metas. Para reduzir o abandono escolar, as instituições designaram funcionários responsáveis por buscar os alunos que faltavam muito para dialogar com as famílias e tentar fazer com que voltassem a atender às aulas. Hoje, a taxa de evasão escolar é menor que 1% e a quantidade de crianças alfabetizadas aos 7 anos de idade chega a 95,8%.

Após 13 anos de investimento e foco na educação da cidade, as escolas de Sobral não apresentam grandes diferenças nos indicadores, mesmo nas zonas rurais e periféricas, onde a concentração da pobreza é maior. Isso significa que o modelo obteve sucesso na padronização da qualidade da educação e comprova que é possível replicar o modelo em todo o país, sem deixar de respeitar os desafios e cenários individuais de cada município do Brasil..

Quem fez acontecer?

A prefeitura de Sobral, gestões de 2001 até hoje

Você também quer transformar sua cidade?

Acesse nossa ferramenta Minha Cidade Empreendedora e saiba mais.

Fonte.